Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/07/19 às 17h26 - Atualizado em 31/07/19 às 17h44

Transformadores vão garantir energia de qualidade no Polo JK

COMPARTILHAR

Nova subestação operada pela CEB vai distribuir energia também para Santa Maria, Gama e Park Way

 

A chegada, nesta quinta-feira (24), de dois transformadores de grande porte vai garantir o fornecimento de energia de qualidade para industrias instaladas no Polo JK. Além das mais de 100 empresas beneficiadas no local, o equipamento foi projetado para suprir, no futuro, a necessidade de regiões vizinhas como Santa Maria, Gama e Park Way. O vice-governador Paco Britto, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, e o presidente da Companhia Energética de Brasília (CEB), Edson Garcia, vistoriaram a instalação dos equipamentos.

 

Iniciada em dezembro do ano passado, a obra vai custar R$ 18,4 milhões e é fruto de convênio firmado entre a SDE, a Companhia Energética de Brasília (CEB) com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para viabilizar o programa Procidades. “Isto chama-se planejamento, chama-se gestão. É o que o governador Ibaneis fala: dinheiro não falta, faltava era gestão”, disse Paco Britto. O titular da SDE ressaltou que esta é mais uma ação para gerar emprego e renda. “Este tipo de ação é, efetivamente, desenvolvimento econômico”, disse Coutinho.

 

A subestação deve começar a operar em janeiro do próximo ano. Fabricado pela empresa Weg Equipamentos Elétricos S/A, o transformador viajou 1.400 km desde Jaraguá do Sul (RS), desmontado em três carretas. O equipamento, que pesa 110 toneladas, vai fornecer 13,8 megawats de energia às empresas, o equivalente para fornecer energia para 80 mil residências.

 

Segundo o engenheiro elétrico da CEB, Frederick Masukawa, atualmente o fornecimento do polo JK é feito pelas subestações do Gama e de Santa Maria, o que prejudica o fornecimento estável da energia. “A subestação vai reduzir as interrupções no fornecimento e melhorar a qualidade da energia”, destaca o especialista da CEB.

 

A subestação de energia é demanda antiga da região. A falta do insumo no setor chegou a causar prejuízos para alguns empresários que tiveram equipamentos danificados pela oscilação da energia. Alguns tiveram que fazer investimentos elevados na compra de geradores para garantir a estabilidade e funcionamento de suas máquinas de produção.