Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/06/18 às 19h24 - Atualizado em 30/10/18 às 12h25

Soluções para a saúde e educação serão criadas por jovens da Campus Party

COMPARTILHAR

Participantes dos hackathons também poderão propor plataformas tecnológicas para política e gestão de resíduos

 

Foto: Cleverlan Costa

Criar soluções tecnológicas a partir de maratonas de hackers (hackathons) é uma das atrações da Campus Party 2018. Os desafios desta edição em Brasília estão estimulando as equipes a pensarem em ferramentas voltadas ao serviço público. Os jovens podem trabalhar em temas que abordam saúde, educação, política e gestão de resíduos sólidos e consumo consciente. Todos os projetos serão voltados à prestação de serviço.

 

“A Secretaria de Saúde, o Observatório Social, o Ministério Público e Câmara Legislativa vão disponibilizar dados da saúde para que os desafios sejam possíveis. Uma das ideias é desenvolver uma plataforma tecnológica para melhorar a gestão e alocação dos médicos nos hospitais”, explica o subsecretário de Programas Estratégicos, da SEDICT, Daniel Vieira Gurgel.

 

Reduzir o tempo de espera nas filas de hospitais e postos de saúde é outra proposta que será desenvolvida por uma equipe ligada ao tema da saúde, o hacksaúde.

 

Somente o Data4Good, desafio da educação, selecionou treze equipes entre cem inscrições. Ele é fruto de uma parceria do Ministério da Educação e o Unicef. “O hackathon tem uma educação experiencial. Os jovens estão aprendendo alguma técnica nova, criando ferramentas tecnológicas. Se juntando em uma equipe e gerando networking. É interessante para universidades e empresas estarem atentas a esse talentos que certamente farão o futuro da cidade’’, disse o consultor de inteligência social da Campus Party, Fernando Tomé.

 

O estudante de ciências da computação, Lucas Rauam, veio de Salvador para participar do evento em Brasília. A equipe dele tem cinco integrantes, sendo quatro baianos e um brasiliense. “’Nosso desafio é criar uma plataforma para identificar e apresentar soluções voltadas às causas da evasão escolar no Brasil, bem como da distorção idade e série observadas em todas as partes do país”, adianta entusiasmado o competidor que está na sua terceira Campus Party.

 

Haverá premiação para os três primeiros colocados em cada categoria. Os prêmios variam entre tablets e ingressos para próxima campus, além de vários brindes, a depender de cada hackathon.