Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/21 às 16h33 - Atualizado em 10/02/21 às 17h40

SDE e Escritório de Assuntos Internacionais se reúnem com a Câmara de Comércio Árabe

COMPARTILHAR

“Buscamos constantemente o diálogo nas áreas de atração de investimento e tudo o que visa contribuir com o desenvolvimento econômico de Brasília”, destacou o secretário de desenvolvimento econômico, José Eduardo Pereira Filho, em reunião com o Escritório de Assuntos Internacionais e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (CCAB) nesta terça-feira (9). Além do debate sobre as áreas de atração de investimentos, foram discutidas a internacionalização de serviços e infraestrutura, turismo, cultura e negócios.

 

Ao longo de 2021, está prevista a realização de um plano de atividades conjuntas entre GDF e a Câmara com a finalidade de apresentar aos investidores dos países árabes os projetos estruturantes do Governo do Distrito Federal.

 

O Diretor Executivo da Câmara, Tamer Mansour, também abordou a possibilidade de promover o intercâmbio cultural entre árabes e brasilienses, por meio do estabelecimento de uma Casa Árabe.

“A Câmara está à disposição para auxiliar o GDF a contactar possíveis parceiros internacionais”, afirmou Mansour.

 

Para a chefe do Escritório de Assuntos Internacionais, Renata Zuquim, o objetivo agora é estreitar relações com as embaixadas dos países da liga. “Foram realizadas ações conjuntas com embaixadas dos países da liga. Agora queremos estreitar essas relações e cooperar para o crescimento econômico do Distrito Federal”.

 

A Câmara conecta o Brasil à Liga dos Estados Árabes, que é uma organização de 22 estados-membros fundada em 1945 com o objetivo de aproximar os países membros e fortalecer laços culturais, econômicos e sociais. Em 2019, o Brasil exportou 19 bilhões de reais em produtos para países da Liga, consolidando o grupo como terceiro maior parceiro comercial do País.

 

“É uma via de mão dupla importante entre Brasília e os países árabes. O governo está envolvendo entidades de Brasília no sentido de estruturar o DF para que possamos firmar parcerias para o desenvolvimento econômico e mitigação do desemprego, a violência, buscando possibilidades voltadas ao comércio, indústria, e serviços”, finalizou José Eduardo.