Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/10/17 às 18h33 - Atualizado em 8/11/18 às 16h47

SBPC leva ciência à população com evento paralelo à SNCT

COMPARTILHAR

Palestra na UnB em Planaltina falou sobre mosquito da dengue

 

Foto: Cleverlan Costa

 

O principal objetivo da Semana Nacional de Ciência e

Tecnologia (SNCT) é aproximar a população do assunto. É justamente isso que a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) promove reunião regional da entidade no Distrito Federal, um evento paralelo à edição de número 14 da Semana Nacional.

 

Com palestras abertas à comunidade dentro de outro evento, a Semana Universitária da UnB, essa reunião regional da SBPC ocorrerá até sexta-feira (27) nos campi de Planaltina, Ceilândia e Asa Norte. Nesta quarta-feira (25), em Planaltina, a comunidade – incluindo alunos da rede pública e da própria UnB – pode conhecer mais sobre a atuação do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti, um ótimo tema para aproximar a ciência da população.

 

WhatsApp Image 2017-10-25 at 11.56.18 2A professora da Faculdade de Saúde da UnB, Laila Espíndola, que também faz parte da SBPC, deu uma verdadeira aula sobre como combater o mosquito, transmissor também da febre Chikungunya e Zika vírus. “Cada fêmea pode pôr 1,5 mil ovos e se ela estiver contaminada, os mosquitinhos também podem nascer contaminados”, explicou a professora durante a explanação.

 

Referindo-se ao combate ao inseto transmissor, Laila Espíndola acha que um evento como esse é a chance que a sociedade tem de entender melhor sobre um mosquito tão perigoso. “Usar uma linguagem acessível às pessoas, porque a sociedade precisa saber que os cientistas existem e que o que ele faz é benéfico para a sociedade”, sintetizou a professora com seus conhecimentos à plateia. Na opinião dela, “se os cientistas tivessem mais momentos como esses para se aproximarem da sociedade, ela entenderia melhor o nosso trabalho, a saúde pública estaria melhor”.

 

A SBPC trouxe de Recife uma mulher que foi infectada na gravidez pelo mosquito e contraiu Zika vírus. O filho, Gabriel, hoje com dois anos, nasceu com microcefalia, provocada pelo Zika e que prejudica o crescimento do cérebro da criança. Juliana Nascimento também deu uma aula, só que de amor materno e de como combater o preconceito. “Quando estou com o Gabriel e vejo que alguém está olhando assustado para ele, pego uma das mãozinhas dele e começo a brincar com a pessoa: Oi, tudo bem? Meu nome é Gabriel! Qual é o teu?”, contou Juliana.

 

Alunas do sexto semestre do curso de Farmácia da UnB e futuras profissionais de saúde, Marina Mendes e Francyelle Lopes, acham fundamental a aproximação da ciência com a população. “População é o fator essencial no combate ao inseto, o combate não deve vir só do governo”, alerta Marina, citando o caso do Aedes. As duas enxergam a educação como parte da saúde. “Quando você aproxima a sociedade da academia é mais fácil cuidar da própria sociedade”, acredita Francyelle.

 

Outras palestras e apresentações de estudos e experimentos científicos acontecem na SNCT até domingo (29), nos campi da UnB, no Planetário e no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, onde está concentrada a maioria das informações e eventos relacionados. Ela pode ser visitada de 8h30 às 18h com entrada é franca.